Verde Vida

ecologicamente ativo!!!!

Doenças causadas pela falta de Saneamento 16 outubro, 2007

Filed under: doenças — fab fabulosa @ 11:23 am

Doença
Agente causador    –    Forma de contágio

Amebíase ou disenteria amebiana
Protozoário Entamoeba histolytica    –    Ingestão de água ou alimentos contaminados por cistos

Ascaridíase ou lombriga
Nematóide Ascaris lumbricoides    –    Ingestão de agua ou alimentos contaminados por ovos

Ancilostomose
Ovo de Necator americanus e do  Ancylostoma duodenale    –    A larva penetra na pele (pés descalços) ou ovos pelas mãos sujas em contato com a boca

Cólera
Bactéria Vibrio cholerae    –    Ingestão de água contaminada

Disenteria bacilar
Bactéria Shigellasp    –    Ingestão de água, leite e alimentos contaminados

Esquistossomose
Asquelminto Schistossoma mansoni    –    Ingestão de água contaminada, através da pele

Febre amarela
Vírus Flavivirussp    –    Picada do mosquito Aedes aegypti

Febre paratifóide
Bactérias Salmonella paratyphi, S. schottmuelleri e S. hirshjedi    –    Ingestão de água e alimentos contaminados, e moscas também podem transmitir

Febre tifóide
Bactéria Salmonella typhi    –    Ingestão de água e alimentos contaminados

Hepatite A
Vírus da Hepatite A    –    Ingestão de alimentos contaminados, contato fecal-oral

Malária
Protozoário Plasmodium ssp    –    Picada da fêmea do mosquito Anopheles sp

Peste bubônica
Bactéria Yersinia pestis    –    Picada de pulgas

Poliomielite
Vírus Enterovirus    –    Contato fecal-oral, falta de higiene

Salmonelose
Bactéria Salmonella sp    –    Animais domésticos ou silvestres infectados

Teníase ou solitária
Platelminto Taenia solium e Taenia saginata    –    Ingestão de carne de porco e gado infectados

fonte: ambientebrasil

 

Poluição prejudica desenvolvimento dos pulmões 27 agosto, 2007

Filed under: doenças — fab fabulosa @ 5:32 pm

Os poluentes saíam do escapamento de veículos
Crianças que vivem em áreas onde há muita fumaça e neblina têm o desenvolvimento de seus pulmões retardado, revelou uma pesquisa dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos.

As crianças que cresceram nas áreas mais poluídas tinham uma probabilidade cinco vezes maior de ter pulmões com funcionamento prejudicado, de acordo com o estudo.

Isto faz com que aumente o risco de doenças pulmonares, ataque cardíaco e morte, disseram os autores da pesquisa ao New England Journal of Medicine.

Segundo os cientistas, este foi o estudo mais longo já feito do impacto da poluição do ar na saúde infantil.

Desenvolvimento prejudicado

A equipe da Escola de Medicina Keck, da Universidade do Sul da Califórnia, descobrira previamente que crianças expostas ao ar poluído tinham um desempenho pior em testes respiratórios.

No estudo mais recente, as mesmas crianças foram testadas aos 18 anos de idade, quando seus pulmões estão quase totalmente desenvolvidos.

Entre os 1.759 adolescentes examinados, os que haviam crescido nas áreas mais poluídas demonstraram ter uma função pulmonar pior – menos de 80% da função pulmonar esperada em sua idade.

Os poluentes presentes no ar identificados pelos pesquisadores eram provenientes o escapamento de veículos e queima de combustíveis fósseis.

O chefe da pesquisa, John Peters, disse: “Quando começamos o estudo, há dez anos, nós não tínhamos idéia de que o efeito sobre os pulmões seriam tão sérios.”

“O desenvolvimento dos pulmões em adolescentes determinam sua capacidade respiratória e saúde pelo resto de suas vidas.”

“Os efeitos potenciais no longo-prazo de redução da função pulmonar são alarmantes”, afirmou Peters. Segundo ele, só o tabagismo representa um fator de risco de morte mais alto do que a poluição atmosférica.

Os pesquisadores não sabem como a poluição do ar prejudica o desenvolvimento pulmonar, mas eles acreditam que a irritação cotidiana causada por poluentes atmosféricos provoca uma inflamação dos pulmões e pode desempenhar um papel no caso.

Os cientistas pretendem acompanhar a saúde dos adolescentes até chegarem à faixa dos 20 anos, quando seus pulmões deverão parar totalmente de se desenvolver.

Por ai dá para entender que não dá mais para ficar pensando, temos que começar a agir com a máxima urgência, pois a cada morte de pessoas, todos somos diretamente ou indiretamente responsáveis. Se é um político, mostre ao povo que é diferente dos outros, mostre que realmente ama sua cidade e faça o povo começar a acreditar novamente em um futuro renovador, se é iniciativa privada, mostre que não se interessa somente por lucros, mas sim nas pessoas que o rodeiam. Afinal todos estamos no mesmo barco.

fonte: achetudoeregiao

 

Doenças Relacionadas à Poluição Atmosférica

Filed under: doenças — fab fabulosa @ 5:31 pm

A poluição atmosférica caracteriza-se basicamente pela presença de gases tóxicos e partículas sólidas no ar. As principais causas desse fenômeno são a eliminação de resíduos por certos tipos de indústrias (siderúrgicas, petroquímicas, de cimento, etc.) e a queima de carvão e petróleo em usinas, automóveis e sistemas de aquecimento doméstico. Um relatório divulgado ano passado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), baseado em estudos sobre Meio Ambiente e Saúde feitos na Áustria, na Suíça e na França revelou que a poluição emitida pelos carros nesses países mata mais gente do que os acidentes de carro. O trabalho mostrou, entre outras coisas, que a exposição prolongada à poluição nesses países causou um adicional de 21 mil mortes prematuras por problemas respiratórios ou doenças do coração em pessoas acima de 30 anos.

A relação entre a baixa qualidade do ar e as doenças respiratórias, cardiovasculares e até a saúde dos fetos é bem alta. Quando respiramos a atmosfera poluída, o pulmão não funciona bem e tem dificuldade para filtrar o ar. Dessa forma chega menos oxigênio para o coração, que terá de trabalhar mais para suprir a carência. Por isso, quem já tem um coração debilitado deve ter um cuidado maior. No Instituto do Coração de São Paulo, entre 1994 e 1995, houve um aumento de 16% no atendimento de pacientes com infarto e dor no peito nos dias mais poluídos.

A comprovação dos efeitos nocivos da poluição sobre os fetos, por exemplo, está na pesquisa do médico Luiz Alberto Pereira, do Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da Universidade de São Paulo (USP). O trabalho revelou que, apesar da proteção da placenta e da estrutura do corpo materno, os fetos sofrem com a poluição atmosférica. A equipe constatou que nos dias mais poluídos as mortes fetais tardias foram maiores. Verificaram também que de cada oito óbitos fetais tardios registrados por dia, em média dois podem estar associados à poluição. “Ela não é a única causa da perda do feto, mas aumenta os riscos de morte. Quanto mais poluição, maior o risco”, explicou Pereira.

Para respirar melhor, os especialistas aconselham a prática de exercícios. Um bom condicionamento físico diminui o risco de complicações causadas pela poluição porque aumenta a resistência cardíaca. “O ideal é se exercitar em parques e fugir das avenidas movimentadas. Quando não for possível, evite os horários de congestionamento. Procure caminhar bem cedo ou à tardezinha”, aconselha Pereira.

fonte: boasaúde

 

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.